Fechar
Subscreva a nossa newsletter

É só registar-se! Recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente no seu e-mail. É gratuito.

Aumento temporário do preço do leite não é suficiente

publicado em 23-10-2017

Comente!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os produtores de leite das cooperativas associadas na Lactogal, a maior empresa de lacticínios em Portugal e que recolhe cerca de 70% do leite produzido no continente, foram informados na semana passada que «face aos resultados na Lactogal, o leite será pago com um bónus de 1 cêntimo nos meses de Novembro e Dezembro».

Este “aumento temporário” do preço do leite ao produtor é positivo mas claramente insuficiente, ficando o valor recebido pelos produtores abaixo do custo estimado de produção, na ordem dos 35 cêntimos, e abaixo do valor médio previsto na União Europeia para Outubro (36 cêntimos).

A referência a um “bónus” apenas para Novembro e Dezembro é um pré-anuncio de descida do preço em Janeiro, apesar de haver indicadores que os preços no mercado europeu de lacticínios seguirão altos e estáveis nos próximos seis meses. Esse pré-anuncio de descida é o contrário da esperança que os agricultores precisam, num ano de custos acrescidos com a seca e a desolação dos incêndios. Considerando a produção recolhida anualmente pela Lactogal, podemos estimar que o “bónus” anunciado representará apenas uma despesa de 1,5 milhões de euros, para uma empresa que no ano passado gerou resultados de quase 30 milhões. Estando este ano o mercado de produtos lácteos claramente mais favorável, é só isto que esta empresa tem a partilhar com os produtores? Recordamos que a Lactogal é uma empresa líder de mercado em Portugal, pertence às cooperativas que pertencem aos produtores, e o preço que paga funciona como referência para as indústrias privadas.

Nesse sentido, desafiamos a Lactogal a assumir a sua responsabilidade, a fazer mais e melhor para valorizar o leite produzido em Portugal e desafiamos também as restantes empresas, nomeadamente empresas multinacionais, especializadas em produtos lácteos de valor acrescentado a darem o exemplo e pagarem o que pagam noutros países da união europeia.



Avalie este conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie o seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo no seu e-mail?

Receber os próximos comentários no meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento da MilkPoint.PT.

Consulte a nossa Política de Privacidade