ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

Canadá deverá aumentar produção de leite em 4% neste ano

Os produtores de leite do Canadá devem aumentar a produção de leite este ano em 4%, para 9,8 bilhões de quilos. Isto depois de três anos consecutivos de crescimento na produção de leite canadense. De facto, desde 2014, a produção de leite do Canadá cresceu mais de 16%, mais do que qualquer outra grande região exportadora de lácteos. Em comparação, de 2014 a 2018, a produção de leite dos EUA crescerá 6%, a da União Europeia deverá crescer em 4% e a produção de leite da Nova Zelândia deverá permanecer estável.

Impulsionado pelo aumento da procura por manteiga e produtos com maior teor de gordura, o crescimento na produção de leite no Canadá tem um lado negativo: maior oferta de sólidos de leite desnatado menos desejáveis, ou seja, leite em pó desnatado. Durante o ano de 2015, os stocks de leite em pó desnatado no Canadá atingiram o maior volume em 38 anos, de 60.000 toneladas.

Parcialmente em resposta a esses crescentes níveis de stock, bem como às importações de proteínas de leite ultrafiltradas produzidas nos EUA a preços competitivos, o Canadá introduziu um esquema nacional de preços de ingredientes para reduzir o preço do leite desnatado e reduzir as importações de produtos lácteos dos EUA.  O esquema foi totalmente implementado em 2017. Igualmente distorcivo ao comércio, os preços mais baixos dos sólidos de leite desnatado produzidos no Canadá permitiram que o país se envolvesse no mercado de exportação de forma significativa.

Na década anterior a 2016, o Canadá exportou, em média, 11,3 mil toneladas de leite em pó desnatado por ano, utilizando subsídios à exportação. Em 2016, as exportações canadenses de leite em pó desnatado aumentaram em 74% com relação ao ano anterior, para 24 mil toneladas. O volume de exportação de 2016 representou aproximadamente 23% da produção de leite desnatado do Canadá.

 

Em 2017, e como resultado direto da estratégia nacional de ingredientes, as exportações totais de leite em pó desnatado do Canadá aumentaram em 203%, para 72 mil toneladas. Essa tendência deve continuar em 2018, já que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) projeta que as exportações de leite pó  desnatado aumentarão em 13%, para 85.000 toneladas métricas - representando 61% de sua produção de leite desnatado.

O recente aumento nas exportações  de leite em pó desnatado canibalizou as vendas de leite em pó desnatado produzido nos EUA em mercados estrangeiros. Por exemplo, durante o ano de 2017, o Canadá exportou 4,5 mil toneladas de leite em pó desnatado para o México em relação ao ano anterior - um aumento de 122%.

Enquanto isso, as exportações de leite em pó desnatado para o México caíram em 2,5 mil toneladas. Mudanças similares na participação de mercado foram observadas nas Filipinas, Indonésia, Vietnam, Jamaica, Arábia Saudita, Jordânia, Uruguai e Sri Lanka.

Os maiores beneficiários das novas proezas exportadoras do Canadá incluem Argélia, Jordânia, África do Sul, Uruguai e Sri Lanka. O volume de importação de leite em pó desnatado do Canadá para esses países  aumentou  1.000%, para mais de 2.000%.

Num mercado perfeitamente competitivo, não haveria nada de errado com as ações de preços e exportação de leite do Canadá em relação aos sólidos de leite desnatado. No entanto, os produtores de leite do Canadá não operam num mercado competitivo como os produtores de leite dos EUA. Para isolar seu mercado doméstico, o Canadá mantém tarifas e quotas de importação e administra um sistema de gestão da oferta de leite – tornando efetivamente os preços do leite ao produtor, assim, os preços dos produtos lácteos no retalho muito mais altos do que em muitos outros países.

Para os produtos lácteos que o mercado interno do Canadá deseja, os preços ao consumidor são artificialmente mais altos devido ao seu sistema de gestão da oferta. Os retornos mais altos do seu sistema de gestão da oferta imposto pelo governo provincial permitem tanto a exportação de sólidos de leite desnatado para os mercados internacionais quanto que os processadores de leite do Canadá comprem sólidos de leite desnatado produzidos no país a preços artificialmente baixos. A redução dos preços dos sólidos de leite desnatado produzidos no Canadá tornou o país mais competitivo nos mercados de exportação e simultaneamente tornou as importações dos EUA ao Canadá menos competitivas.

 

A questão é que para os excedentes no mercado, ou seja, sólidos de leite desnatado, o esquema de preços de ingredientes nacionais funciona de forma semelhante a um subsídio de exportação e permite ao Canadá dispor do produto excedente nos mercados globais a preços de compensação de mercado internacionais. Esse tipo de política que distorce o comércio é um fator que contribuiu para reduzir os preços do leite nos EUA.

Não há dúvida de que os negociadores comerciais dos EUA têm essa questão, bem como o sistema de gestão da oferta, como uma das principais questões agrícolas a negociar com o Canadá em uma modernização do Acordo de Livre Comércio da América do Norte. A revogação da estratégia nacional de ingredientes contribuirá bastante para tornar o comércio mais justo e melhorar a renda das famílias de produtores de leite dos EUA. O artigo é de John Newton, diretor de inteligência de mercado da American Farm Bureau Federation, para a Dairy Herd Management.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.