Fechar
Subscreva a nossa newsletter

É só registar-se! Recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente no seu e-mail. É gratuito.

Espanha: Danone planeia reduzir o açúcar dos produtos lácteos fermentados

publicado em 04-12-2017

Comente!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

danone - espanha - iogurtes A multinacional francesa Danone planeia reduzir em 22% os açúcares adicionados aos seus produtos lácteos fermentados em Espanha até 2020, uma iniciativa que começou em 2014 com o objetivo de oferecer aos consumidores opções mais saudáveis. Trata-se de um compromisso nutricional da empresa, que em todo o mundo marcou uma redução de 12,8% do açúcar em seus produtos até 2020, como explicado pela gestor de Ciência e Nutrição da Danone Iberia, Marta Iguacen.

Atualmente, 48% dos iogurtes da Danone contêm açúcar adicionado, 39% contêm adoçante e apenas 13% são naturais. O objetivo da empresa é reduzir os açúcares em todo o portfólio, mas "devemos fazê-lo passo a passo e acompanhando os outros concorrentes porque, de outra forma, não faz sentido”.

Durante uma visita ao centro de pesquisa Daniel Carassso em Palaiseau, localizado perto de Paris, a diretora de Ciência e Nutrição na Europa, do Danone Nutricia Research, Agnes Martin, destacou os benefícios nutricionais e de saúde do iogurte e o compromisso da empresa com a pesquisa no campo dos fermentos.

Nesse sentido, a Danone possui uma coleção de 4.000 microrganismos únicos no mundo e cerca de 1.800, em sua maioria, probióticos, são propriedade exclusiva da multinacional francesa. Martin comentou que 80% dos produtos Danone são fabricados com apenas 36 microrganismos dos 4.000 preservados no seu centro de pesquisa e desenvolvimento em Palaiseau há cerca de 90 anos.

Martin lembrou o compromisso da empresa de continuar a pesquisar culturas vivas com o objetivo de "contribuir para a saúde da microbiota intestinal", cujas alterações estão relacionadas, de acordo com vários estudos, com doenças autoimunes, entre outras. O investimento anual em pesquisa e desenvolvimento da Danone destina anualmente 330 milhões de euros (US$ 391,07 milhões) para isso, área que tem um total de 1.624 cientistas em 40 países.

A empresa, com sede em Paris, possui dois centros internacionais de pesquisa, o Daniel Carasso de Palaiseau e o Centro de Pesquisas Nutricia de Utrecht (Holanda). Em 2016, a Danone lançou 339 novos produtos no mercado, 40% deles completamente inovadores e o restante sendo variações de outros já existentes.

Segundo Martin, embora os produtos sejam criados nesses centros de pesquisa "são adaptados às necessidades e gostos de cada país". As vendas da multinacional francesa na categoria de produtos lácteos frescos totalizaram 10,736 bilhões de euros (US$ 12,723 bilhões) no ano passado, 2% a mais do que no ano anterior, e as marcas Activia, Danone e Vitalínea foram as que mais contribuíram para o crescimento. Nesta linha, 88% das vendas em 2016 corresponderam às categorias saudáveis da empresa.

Em 30/11/17 – 1 Euro = US$ 1,18508
0,84373 Euro = US$ 1 (Fonte: Oanda.com)


As informações são do http://gerente.com, traduzidas pela Equipa MilkPoint.

Avalie este conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie o seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo no seu e-mail?

Receber os próximos comentários no meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento da MilkPoint.PT.

Consulte a nossa Política de Privacidade