ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

EUA: Abate de vacas leiteiras do primeiro semestre de 2018 atinge níveis não vistos desde 2013

Os produtores de leite estão a enviar as suas vacas para  abate a uma taxa nunca vista desde 2013, quando os produtores abateram quase 1,56 milhões de cabeças nos primeiros seis meses do ano - o mesmo ritmo que este ano. Ao mesmo tempo, o custo das novilhas de reposição está tão baixo como não visto em muitos anos.

“Baixos valores das novilhas implicam que a oferta de novilhas para venda supera a procura, e isso sugere que os produtores retraem-se ao pensarem em crescerem. Isso poderia preparar o terreno para uma contração no nº vacas de leite dos EUA”, disse Sarina Sharp, analista do Daily Dairy Report. "Mas, dada a oportunidade para os produtores substituírem as vacas de forma barata, a produção por vaca provavelmente permanecerá alta."

O preço a ser pago em leilões em todo o país para qualidade de vacas holandesas para substituir vacas leiteiras foi em média de US$ 1.200 por cabeça durante o mês passado, colocando o custo de novilhas de reposição em baixas não vistas em décadas, observa Sharp.

De acordo com o relatório mensal de abate de gado do USDA, o abate de vacas leiteiras continuou a decrescer sazonalmente em junho, mas ainda estava acima dos níveis dos últimos anos. Os produtores  enviaram 237.500 vacas leiteiras para abate em junho, um aumento de 0,3% em relação ao ano anterior e o segundo maior total em junho desde pelo menos 2000, atrás apenas de junho de 2009, quando 256.000 vacas foram abatidas. Até agora, neste ano, os produtores de leite têm abatido mais vacas a cada mês do que no ano anterior. Nos primeiros seis meses de 2018, o abate foi 4,9% maior que o mesmo período do ano anterior.

A alta taxa de abate deste ano não parece ser o resultado do tamanho do efetivo leiteiro do país ou do tamanho do rebanho substituto, observa Sharp. De acordo com o relatório do USDA não houve mudança no número de vacas leiteiras e novilhas, em comparação com um ano atrás.

"O rebanho leiteiro de junho era exatamente do mesmo tamanho que o rebanho há um ano", disse Sharp. “Na primeira parte do ano, parte do aumento no abate de produtos lácteos pode ser atribuído ao maior rebanho de ordenha com relação ao ano anterior, o que implica que a forte taxa de abate não foi necessariamente o resultado de uma maior taxa de abate, mas em maio e junho, o rebanho de vacas leiteiras estava basicamente no mesmo nível do ano passado ”, observa Sharp. Nos primeiros seis meses deste ano, o rebanho de leite dos EUA ficou em média apenas 0,21% maior que o rebanho do ano passado.

“Semelhante ao que estava a ocorrer em 2013, os produtores de leite de hoje também estão lutando com margens pequenas, e um número crescente está a vender a sua exploração. Vacas leiteiras e novilhas de reposição estão perdendo a valor como resultado ”, observa Sharp. Em 2013, o abate de vacas leiteiras continuou forte no segundo semestre do ano, chegando a 3,08 milhões de cabeças, o maior abate de vacas desde pelo menos 2000. As informações são do www.milkbusiness.com.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.