ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

Seminário APROLEP: 300 agricultores discutem o futuro da produção de leite

Novos Desafios para a Produção de Leite foi o tema do seminário APROLEP/AJADP que teve lugar ontem, 26 de fevereiro, na Cooperativa de Vila do Conde, com a participação do MILKPOINT.

Com uma plateia de cerca de 300 participantes, foram discutidos vários temas importantes para os produtores, desde a produção até ao consumo. 



O seminário, que contou com a presença do Diretor Regional de Agricultura, Dr. Manuel Cardoso, teve como primeira palestrante a nutricionista Helena Real que desmistificou a recomendação de Harvard sobre os laticínios, lembrando que a recomendação de consumo nos EUA é muito semelhante à de Portugal, devendo para cada país ser adoptado uma recomendação particular. 




Sieta Van Keimpema, do EMB, caracterizou o mercado do leite na Europa, propondo o Plano de Responsabilidade de Mercado, uma proposta do EMB, com vista à diminuição da produção de leite na Europa e estabilização do preço no mercado, com remuneração justa do produtor pelo seu trabalho.

António Moitinho Rodrigues, Professor na Escola Superior Agrária de Castelo Branco, focou a sua palestra nos vários fatores que condicionam a produção eficiente de leite, num cenário de consumo nacional de leite em decrescimento.

O debate moderado por Ana Fernandes, MilkPoint, levantou algumas questões importantes como o papel da grande distribuição nesta crise.

Carlos Neves deixou um apelo final ao Governo para que além de soluções de fundo, sejam trabalhadas linhas de ação imediatas para salvar o setor.  



A sessão foi encerrada pela presença do Secretário de Estado da Agricultura, Dr. Luis Vieira, que se referiu à "tempestade perfeita" como algo a que o governo está a gerir nas esferas europeias. Luís Vieira garantiu que o Governo está também a desenvolver estratégias internas, nomeadamente na promoção do produto a nível interno. "Vamos avançar com uma medida na rotulagem, onde temos um projeto para colocar um logótipo com origem do produto portuguesa, de modo a que os consumidores saibam que estão a comprar um produto de qualidade e possam ser solidários com os agricultores nacionais", partilhou o Secretário de Estado. Além desta estratégia de promoção, Luís Silva garantiu que tem sensibilizado as grandes cadeias de distribuição para terem "bom senso" na fixação dos preços na venda de leite.




2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

PAULO FERNANDO GOMES PAIS E SILVA

ESTARREJA - AVEIRO - INSTITUIÇÃO PÚBLICA

EM 04/03/2016

O desespero dos produtores deve servir de incentivo à criação de medidas/soluções que coloquem o setor da produção de leite numa posição estavel, não só a nivel financeiro como emocional/sentimental. O produtor é um elemento fundamental na nossa cadeia alimentar, ele é responsável pela sobrevivência humana. É ele que deve ser valorizado por produzir alimento imprescindível para a sobrevivência do planeta. Enquanto continuar a ser "explorado" pela industria/distribuição e estas não mudarem de atitude, o desespero do produtor continuará a evoluir ao longo dos dias. Se o produtor acabar, aumentará a fome e por consequência a morte. A industria/distribuição deve à produção, todo o império que  foi construindo ao longo de décadas. A industria/distribuição tem meios mais que suficientes para dar volta à situação, basta crer e crer é poder. Está nas mãos da industria/distribuição dar o passo seguinte.

Bem ajam os Produtores.
ANTÓNIO LUIZ GOMES

SANTARÉM - SANTARÉM - PESQUISA/ENSINO

EM 28/02/2016

O público tem de estar com os agricultores. Para isso, é muito importante que os agricultores cheguem ao público, esclarecendo sobre o valor dos alimentos que produzem, a forma como os produzem e o seu papel insubstituível na conservação da paisagem e do ambiente e na ocupação do território. Isso tem de começar com as crianças nas escolas. Um exemplo notável recentemente referido no grupo Bovinicultura ESAS pelo João Moreira, um membro que atualmente trabalha na Escócia, é o Royal Highland Education Trust http://www.rhet.org.uk/. Se o público estiver com os agricultores, é possível surgirem iniciativas como outra referida pelo João Moreira: os supermercados recolhem donativos para a ajuda aos produtores de leite neste tempo de crise. Isto mostra onde pode chegar a solidariedade. Com esta união, que parte de cada um, a agricultura resistirá e crescerá através de todas as crises e em benefício de todo o país