FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

Conhecimentos Práticos 3 - Os 90 Dias Vitais

Gestão dos 90 Dias Vitais

Os 90 Dias Vitais correspondem ao período de tempo decorrido entre aproximadamente dois meses antes do parto e um mês após o parto. Durante o período dos 90 dias ocorrem múltiplas alterações físicas e metabólicas na vaca, que podem contribuir para a ocorrência de eventos interrelacionados e em cascata. Uma transição bem-sucedida ao longo dos 90 dias vitais terá impacto nas outras fases do ciclo de lactação, em que o contributo da vaca para a rentabilidade global da exploração é superior.

Quase todas as vacas leiteiras sofrem algum grau de imunossupressão durante as duas a três semanas antes e após o parto, assim como apresentam um défice energético aquando do parto e se inicia um novo período de lactação.

Inputs dos 90 Dias Vitais

Os produtores e os seus técnicos e veterinários têm em conta muitos inputs relativos à gestão e à monitorização do balanço energético e da função imunitária, para ajudar a vaca a fazer uma transição bem-sucedida para uma nova lactação.

O maneio alimentar é uma componente importante da gestão do potencial de produção e do bem-estar da vaca. As práticas de gestão alimentar devem dar ênfase à maximização da acessibilidade aos alimentos e à minimização de variações. São dados alguns complementos nutricionais na tentativa de apoiar o balanço energético e o sistema imunitário da vaca.

É necessário maximizar o conforto da vaca para minimizar os fatores de stress ambiental e os seus efeitos negativos no sistema imunitário.
As vacinas são medidas importantes no controlo da doença, que atuam ao nível do sistema imunitário adquirido, para ajudar a prevenir doenças respiratórias e reprodutivas na lactação seguinte.
Os programas de controlo das mastites (tratamento da vaca seca e selantes nos tetos) são implementados para prevenir novas infeções e curar as infeções existentes.



O que é que os produtores e os veterinários tentam fazer durante o período dos 90 Dias Vitais?

• Gerir a função imunitária
• Gerir o balanço energético

Que inputs ocorrem durante os 90 Dias Vitais?


• Práticas de maneio
• Programas de vacinação
• Uso de complementos nutricionais
• Medidas de controlo e prevenção de mastites
• Programas de monitorização






Resultados dos 90 Dias Vitais


A gestão da função imunitária e do balanço energético nos 90 Dias Vitais contribui para minimizar as doenças de transição, permitindo assim à vaca atingir o seu potencial genético.
As doenças que ocorrem durante o período peri-parto são danosas porque diminuem diretamente a produção de leite, aumentam os custos do tratamento e potenciam a mortalidade e o risco de refugo.
Estas doenças afetam indiretamente a rentabilidade, diminuindo a produção futura, aumentando o risco de outros problemas associados à doença e podem ter um impacto no êxito de futuros eventos fi siológicos, tais como a reprodução.

Doenças de transição.

Quais são as consequências da má gestão dos 90 Dias Vitais?

As doenças pós-parto e a deterioração do bem-estar da vaca são resultado de uma má gestão da função imunitária e do balanço energético durante os 90 Dias Vitais.


São necessários programas de monitorização, um registo rigoroso e tratamentos médicos adequados, para diminuir os impactos negativos das doenças de transição.
Estas doenças estão interligadas. As doenças de transição podem ser agrupadas tendo como base a má gestão do balanço energético e a má manutenção da função imunitária.


Referências:

1. Goff JP, Horst RL, Physiological changes at parturition and their relationship to metabolic disorders. Journal Dairy Science 1997; 80 (7): 1260–1268.
2. Drackley JK, Dann HM, Douglas GN, Physiological and pathological adaptations in dairy cows that may increase susceptibility to periparturient diseases and disorders. Italian Journal of Animal Science 2005; 4 (4): 323–344.
3. Kelton DF, Lissemore KD, et al, Recommendations for recording and calculating the incidence of selected clinical diseases of dairy cattle. Journal of Dairy Science 1998; 81: 2502–2509.
4. Suthar VS, Prevalence of subclinical ketosis and relationships with postpartum diseases in European dairy cows. Journal of Dairy Science 2013 ; 96 (5): 2925–2938. 5. Duffi eld T, Impact of hyperketonemia in early lactation dairy cows on health and production. Journal Dairy Science 2009; 92 (2): 571–580.
6. Butler WR, Smith RD, Interrelationships between energy balance and postpartum reproductive function in dairy cattle. Journal Dairy Science 1989; 72: 767–783.
7. Sordillo LM, Factors affecting mammary gland immunity and mastitis susceptibility. Livestock Production Science 2005; 98: 89–99.
8. Hammon DS, et al, Neutrophil function and energy status in Holstein cows with uterine health disorders. Veterinary Immunology and Immunopathology 2006; 113: 21–29.
9. Kimura K, Goff JP, Kehrli ME, Decreased neutrophil function as a cause of retained placenta in dairy cattle. Journal Dairy Science 2002; 85 (3): 544–550.
10. Berge AC, Vertenten G, A fi eld study to determine the prevalence, dairy herd management systems, and fresh cow clinical conditions associated with ketosis in western European dairy herds. Journal of Dairy Science 2014; 97(4): 2145–2154.
 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.