FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

2016 já passou! 2017 será um ano mais próspero para o setor!

POR ANA FERNANDES

EDITORIAL E NOTÍCIAS DO MILKPOINT

EM 30/12/2016

2
0
Manda a tradição em finais de ano, fazer-se um balanço do que aconteceu e está para acontecer. Esta semana, destacamos ao longo dos cinco dias, os artigos mais lidos pelos nossos leitores e que no total contabilizaram mais de 16.000 visualizações: o TOP 5 MilkPoint.

A história do TOP 5 MilkPoint confunde-se afinal com a evolução do próprio mercado: chegamos a 2016 com valores mínimos do preço pago à produção (acabando por refletir os preços internacionais que registaram um valor mínimo em agosto de 2015) e terminamos 2016 com preços, provavelmente, similares aos do início do ano (embora os dados oficiais apenas sejam conhecidos em Fev 2017).

Face a este cenário, Portugal acaba por refletir as tendências internacionais, sendo que o primeiro destaque vai para a valorização do leite de pastagem. Os consumidores, especialmente as novas gerações com poder de compra, estão preocupados com a saúde e o bem estar, não apenas o seu mas o do meio ambiente. Assim, alimentos naturais, leite proveniente de pastagem, estão a ser valorizados pois os consumidores percepcionam como algo mais sustentável. 

Os estudos realizados vêm colocar o leite como um ingrediente premium e um ensaio recente demonstrou que em caso de exercício físico, o leite pode mesmo ser melhor a reidratar do que a água. E não, o leite não é um setor esquecido! Este estudo foi suportado pela Coca Cola Co.!

Por cá, tanto a Jerónimo Martins como a Sonae deram passos na aproximação à produção nacional. A Sonae garante uma quase total compra de leite português na sua marca e a Jerónimo Martins, ao investir na Serraleite, a renovada fábrica no Alentejo esperada para 2017.

As expectativas para 2017 são animadoras face a 2016: espera-se uma estabilização dos preços no 1º semestre do ano, segundo o Rabobank. O regresso da China ao mercado e o aumento do consumo farão previsivelmente "preços mais felizes" para este novo ano.

Por cá queremos ouvir a sua opinião de como será este ano e quais serão os seus investimentos prioritários.

Até 2017! E um brinde ao leite!

ANA FERNANDES

Coordenadora do MilkPoint Portugal.
Consultora na área Regulamentar em Veterinária.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

PEDRO DE OLIVEIRA PINTO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 09/01/2017

Considero Portugal um país com inúmeros produtos lácteos bem desenvolvidos e com indústrias lácteas muito interessantes, buscando sempre a inovação em termos de tecnologia e desenvolvimento de produtos (queijos, iogurtes, manteiga, sobremesas lácteas, leite em pó, produtos com leite de cabra e de ovelha etc.).



Em termos sensoriais, considero o leite do dia de Portugal, na versão leite fresco, o melhor leite que já consumi em meus 59 anos de vida. Realmente, há uma grande parte das indústrias láctea portuguesas que buscam a qualidade do produto final, em todos seus aspectos.



Nos 8 anos que morei em Portugal, o leite Vigor era considerado o melhor, e um símbolo de Portugal em matéria de sabor/qualidade. Em termos de queijos, também gosto muito dos queijos e iogurtes de Portugal, que são de alta qualidade.



As fazendas portugesas, de modo geral, estão bem equipadas e preparadas para produzir leite de alta qualidade.



Pena Portugal não exportar produtos lácteos para o Brasil, sobretudo queijos típicos daí.



Um abraço e feliz 2017 com muitas consquistas para o setor lácteo!
CARLOS MANUEL OLIVEIRA VALENTE

CANTANHEDE - COIMBRA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/01/2017

Se efetivamente os projetos Sonae e jer. martins forem alternativas reais e credíveis para o produtor de leite nacional, com estatuto de comprador autónomo em relação as estruturas ja existentes para esse fim e se apresentem despojadas dos vícios de que as atuais enfermam, então poderão ser uma grande alavanca para a produção de leite nacional, se tirarem movimento da VICIADA  ENGRENAGEM EXISTENTE é apenas, como disse alguem, mudar para que tudo fique na mesma .

Carlos valente, produtor de leite, Cantanhede Portugal