ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

Leilão GDT tem forte subida de 5,9% e preço médio ultrapassa US$3.500/ton

Os preços internacionais do leilão da Global Dairy Trade (GDT) seguem emsubida vertiginosa desde o início do ano. No evento realizado hoje (06/02), o resultado surpreendeu o mercado, com uma subida de 5,9% no índice de preços, levando o valor médio das negociações a US$ 3.553/tonelada, conforme aponta o gráfico 1.

Gráfico 1. Preços médios e variação no índice de preços em relação ao leilão anterior. Fonte: Global Dairy Trade. 

Neste leilão, todos os produtos negociados registaram valorização. Nos leites em pó, a valorização de 7,2% no desnatado levou a sua média para US$ 1.932/tonelada, enquanto o inteiro demonstrou subida ainda mais acentuada (7,6%), indo a US$ 3.226/tonelada. Além destes, destaque também ao queijo cheddar, o qual chegou a US$ 3.739/tonelada após valorização de 7,2% no seu índice, e para a manteiga, já historicamente valorizada, que chegou a US$ 5.227/tonelada neste leilão.

oferta mais restrita de leite afetou diretamente o volume negociado. Neste leilão, foram negociadas 22.197 toneladas, 4,8% a menos em relação ao leilão anterior, o qual já havia apresentado queda de 8,2%, como mostra o gráfico abaixo.

Gráfico 2. Volume negociado nos leilões GDT. Fonte: Global Dairy Trade.

 

Há alguns fatores que explicam essa valorização. Em dezembro, o clima desfavorável afetou a produção na Nova Zelândia, que registou queda de 4,6% na produção de sólidos em relação a dezembro de 2016, e a produção de janeiro também enfrentou problemas. Os institutos meteorológicos do país apontaram que janeiro/2018 foi o mês mais quente de temperatura desde 1867!. Assim, é de se esperar que a produtividade baixe, afetando a oferta do país, que já vinha sofrendo com chuvas abaixo da média ao longo de grande parte da campanha.

Além disso, muitos países importadores de leite em pó (especialmente desnatado) aumentaram suas  as posições de compra, em função dos baixos preços praticados no final do ano passado.

Entretanto, quando se analisa em contexto de tempo mais amplo, torna-se mais difícil afirmar que há espaço para uma valorização consistente de preços no longo prazo.

Em 2017 (acumulado janeiro-dezembro), a produção da Nova Zelândia foi 1,3% maior em equivalente leite em relação a 2016, enquanto no mesmo período, as exportações caíram 2,4%. Além disso, tanto a União Europeia quanto os Estados Unidos aumentaram as suas produções neste período, ganhando espaço cada vez maior no mercado asiático (principal “cliente” neozelandês).

Com os especuladores atuando mais ativamente no mercado, os contratos futuros de leite em pó valorizaram em todos os meses negociados, especialmente nos contratos que estão mais próximos do vencimento, como mostra a tabela abaixo.

Tabela 1. Preços futuros - leilão GDT. Fonte: Global Dairy Trade. 

 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.