FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

Preços dos lácteos permanecem fracos no primeiro trimestre do ano

Apesar da melhoria no preço das commodities lácteas nos últimos meses em relação às baixas de janeiro, o relatório trimestral do Rabobank Food & Agribusiness Research and Advisory (FAR) indica que os fornecedores ainda não estão fora de perigo.

“Nós passamos pela pior fase do mercado dos produtos lácteos, mas as coisas provavelmente não serão tão difíceis a no segundo semestre deste ano, à medida que o mercado está atualmente a ser contabilizado”, disse o técnico do Rabobank e autor do relatório, Tim Hunt.

Os preços globais permaneceram fracos durante a primeira metade do primeiro trimestre, antes de dar um salto vigoroso e surpreendente no meio de fevereiro. Até o meio de março, os preços do leite em pó inteiro aumentaram em 42%, sobre os níveis do meio de dezembro no comércio da Oceania em dólares americanos, com a manteiga e o leite em pó magro a aumentarem 20% (os queijos permaneceram sem alterações).

O Rabobank reconhece que a força do aumento é difícil de ser justificada baseando-se nos fundamentos atuais.

A Nova Zelândia passou por um período de seca em fevereiro/março, enquanto margens mais apertadas e multas por excedentes quotas trouxeram um fim a uma onda de crescimento na oferta de leite na União Europeia (UE). Porém os Estados Unidos têm assegurado uma elevada e contínua oferta. Há poucas melhorias na procura nas importantes regiões (China e Russia), direcionando a contração do comércio internacional pela primeira vez desde a crise financeira de 2009.

“A curto prazo, consideramos possivel ainda algumas perdas nos preços. Infelizmente para os fornecedores, o mercado provavelmente sinalizará para que o crescimento da produção se contenha à medida que progredimos para o meio do ano”.

À medida que 2015 avança, analistas do Rabobank esperam que o crescimento na oferta continue a desacelerar. Os menores preços levarão a um crescimento no consumo e compras mais fortes noutros locais, que ajudarão a compensar a fraqueza da China e da Rússia.

“Continuamos a prever um estreitamento gradual ocorrendo neste mercado, levando a uma modesta pressão de subida na segunda metade de 2015. Para o quarto trimestre de 2015, esperamos voltar ao território das margens positivas para a maioria das explorações leiteiras nas importantes regiões exportadoras do mundo, mas levará tempo para chegar a esse ponto. Os produtores ainda não estão fora de perigo”.

“Baixos preços foram requeridos para ajudar a limpar o mercado que ainda está a lidar com um crescimento excepcionalmente forte na oferta, um dólar crescente dos Estados Unidos, um fraco ambiente económico e menores compras da China e da Rússia”.

A reportagem é da Feedstuffs, traduzida pela equipa do MILKPOINT.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.