Fechar
Subscreva a nossa newsletter

É só registar-se! Recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente no seu e-mail. É gratuito.

Relatório do Observatório do Mercado de Leite da UE: abril 17'

publicado em 04-07-2017

Comente!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A recolha de leite na União Europeia (UE) aumentou ligeiramente em abril de 2017 (+ 0,7%) em relação ao mesmo mês do ano anterior, sendo o primeiro mês com crescimento de produção desde maio de 2016, particularmente forte na Irlanda, Itália e Polónia em termos de volume. Entretanto, a recolha de leite total nos primeiros 4 meses de 2017 foram 1,5% inferiores às do mesmo período de 2016.

Uma diminuição da produção de leite na UE foi reportada de janeiro a abril para leite em pó desnatado (-9,7%), manteiga (-5,3%), leite fluido (-2,6%), leite em pó inteiro (-1,8%) e leite fermentado (-0,4%), enquanto a produção aumentou em 2,1% para leite concentrado, 1,6% para creme e 1,4% para queijo.

O preço médio ponderado do leite na UE aumentou em abril de 2017 em 0,2% para 33,18 cêntimos por quilo, para um aumento total de 29% desde julho de 2016. Esse preço é 21% maior do que em abril de 2016 e 1,3% superior à média dos últimos 5 anos.

Os preços nos mercados spot de leite melhoraram nas últimas semanas. Na Itália, o preço do leite aumentou entre as semanas 21 e 25 de 2017 em 12% - de 37,5 para 42,0 cêntimos por quilo - o que significa um aumento de 45% em relação ao nível do ano passado.

Na Holanda, o preço do leite aumentou entre as semanas 21 e 25 em 3,9% - de 38,5 para 40,0 e de 37,5 para 42,0 cêntimos por quilo -, esse preço é 45% maior do que na mesma semana de 2016.

Os preços médios da UE dos produtos lácteos geralmente aumentaram no último mês, exceto do soro de leite pó (- 4,3%). Os preços de manteiga/óleo de manteiga (+8,2%/+10,2%), queijo edam (+ 4,2%), cheddar (+ 3,8%), leite em pó (+ 3,7%), gouda (+ 2,5%) e leite em pó desnatado (+ 1,9%) subiram.

No mercado mundial, os preços da manteiga tenderam a aumentar nas últimas duas semanas quando expressos em US$, particularmente nos EUA (+ 4,1%). O preço do leite em pó da Oceania aumentou significativamente (+8,6%). Os preços do cheddar estão em geral mais baixos, com uma diminuição especialmente acentuada nos EUA (-18%). O preço do leite em pó desnatado nos EUA também caiu 5,4%. Os EUA são a região mais competitiva para o leite em pó e cheddar e a UE para manteiga. A Oceania é a região mais cara para manteiga, leite em pó integral e cheddar e a UE para leite em pó desnatado.

As exportações da UE no primeiro mês de 2017 aumentaram em volume para leite em pó desnatado (+ 13,3%), leite condensado (+ 10,9%), queijos (+ 7,4%), leite em pó integral (+ 5,7%), leite condensado (+ 6,2%) e soro do leite em pó (+ 4,0%).

Ao contrário, houve diminuição da manteiga (-20,1%) e do óleo de manteiga (-44,4%). As exportações totais da UE em janeiro-abril de 2017, expressadas em equivalentes de leite, seriam 1,4% acima do nível do ano anterior, enquanto o valor dessas exportações aumentou 16,6%.

A UE aumentou as exportações de queijos para todos os 10 principais destinos nos primeiros 4 meses de 2017, exceto para a Arábia Saudita (-10%) e para a Argélia (-16%). Os EUA são a principal saída para o queijo da UE (-1%), seguido por Japão (+ 40%), Suíça (+ 7%) e Coreia do Sul (+ 23%). O Chile mostra um aumento percentual de três dígitos nas importações de queijos da UE.

Os EUA, a Arábia Saudita e o Irã foram os principais destinos da manteiga da UE no período de janeiro a abril de 2017, com um aumento de dois dígitos para os EUA (+ 57%) e o Irã (+ 41%). As exportações de manteiga da UE também aumentaram sensivelmente na Austrália, enquanto diminuíram significativamente na Arábia Saudita (- 54%) e no Japão (-53%).

A Argélia está a lider o ranking das exportações de leite em pó desnatado da UE (+ 16%, principalmente das exportações Polónia, França e Bélgica) e leite em pó aumento de três dígitos) nos primeiros 4 meses de 2017 (56% do leite em pó da Holanda). O segundo destino para o leite em pó desnatado da UE é a China (+ 43%), seguido da Indonésia (+ 28%).

O México apresenta um aumento percentual de três dígitos (Espanha sendo o principal exportador), mas a Malásia (+ 80%) e o Vietnã (+ 35%) aumentaram significativamente suas importações de proteínas da UE. Em relação ao leite em pó integral da UE, Omã (-25%), China (+ 24%) e Kuwait (+ 9%) são os outros mercados principais.

As exportações de Nova Zelândia diminuíram para todos os principais produtos nos primeiros 4 meses de 2017: leite em pó(-5%), queijo (-7%), manteiga (-9%) e leite em pó desnatado (-17%). Os EUA melhoraram as exportações das suas duas principais commodities comercializadas: o leite em pó desnatado aumentou em 20% e o queijo em 15%. Ao contrário, as exportações de manteiga dos EUA estavam bem abaixo das do ano passado (-36%), mas os volumes foram muito menores.

Do lado da procura, a China ainda é o principal importador mundial de leite em pó, manteiga e soro de leite. A China melhorou os seus dados de importação nos primeiros 4 meses de 2017 em relação a 2016 para queijo (+ 18%), leite em pó desnatado (+ 8%) e soro de leite (+ 14%), mas ainda mostra algumas diminuições para manteiga (-8%) e leite em pó integral (-3%).

Em abril de 2017, a Austrália e as Filipinas mostraram aumentos significativos nas importações de manteiga (+ 60% e + 30%, respectivamente), enquanto os EUA diminuíram suas importações de manteiga (-24%). O Japão e os EUA (com 70% de origem da UE) lideram o ranking dos importadores de queijos em abril de 2017, mas os EUA apresentaram volumes reduzidos (-14%) em relação ao ano passado, seguido da Rússia e da Coreia do Sul (+ 25%).

A produção de leite da Nova Zelândia aumentou 6,3% em abril de 2017 em relação ao mesmo mês de 2016. Na estação de 2016-17 (junho de 2016 a maio de 2017) até agora, a produção de leite foi 1,1% inferior aos níveis de 2015-16. O preço do leite expresso em centavos por quilo aumentou em abril de 2017 em 1,2%, para 32,8 cêntimos por quilo, o que significa um aumento de 62% em relação a abril de 2016.

A produção de leite da Austrália em maio de 2017 (décimo primeiro mês da temporada 2016-17) diminuiu 2,8% em relação a maio de 2016. A produção de leite acumulada na estação (julho de 2016 a junho de 2017) é 7,6% menor do que no ano passado.

A produção de leite nos EUA aumentou 1,8% em maio de 2017, o que significa um aumento acumulado de 1,4% em 2017. Para abril de 2017, o preço do leite dos EUA foi de 35,7 cêntimospor quilo (-4,0% em relação a março de 2017). Este preço é 17% superior ao de abril de 2016).

As informações são do Milk Market Observatory, da Comissão Europeia. 

Avalie este conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie o seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo no seu e-mail?

Receber os próximos comentários no meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento da MilkPoint.PT.

Consulte a nossa Política de Privacidade