Fechar
Subscreva a nossa newsletter

É só registar-se! Recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente no seu e-mail. É gratuito.

4 questões num programa de reprodução

publicado em 04-05-2017

Comente!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O desempenho reprodutivo é uma das muitas áreas-chave que podem ter um enorme impacto sobre a rentabilidade. Não é surpreendente que os produtores de leite continuem a procurar maneiras de melhorar os seus programas de reprodução.

Muitos fatores entram em um bom programa de reprodução. A nutrição pode desempenhar um papel no programa de reprodução, e o impacto da dieta é frequentemente discutido.

1) Qual é a sua taxa de prenhez atual e qual é o seu objetivo?

A taxa é uma das métricas mais utilizadas para determinar o estado do programa de melhoramento. Em termos simples, é definida como a taxa de detecção de cio  multiplicada pela taxa de concepção. Conhecer as métricas de reprodução atuais facilitará a avaliação do impacto das alterações feitas.

2) Qual é a sua taxa de deteção de cio?

Os efetivos que atingem altas taxas de prenhez normalmente têm taxas de deteção de cio acima de 60%. Se  tem um problema, investigue as causas potenciais.

Se as vacas parecem ter atividade do ovário normal, investigue se o método de detecção de cio (ou seja, observação visual, pintura da cauda, ​​monitores de detecção de cio, AI cronometrada, etc), nível de claudicação ou ambiente, stress por calor, etc.) podem estar a afetar a taxa de deteção de cio.

3) Qual é a sua taxa de concepção?

Para atingir uma alta taxa de prenhez, provavelmente a taxa de concepção deverá ser ser acima de 40%. Muitas variáveis ​​podem influencia-la, como a presença de doença uterina, o stress por calor, a nutrição, morte embrionária precoce, etc. Trabalhe com o seu veterinário. 

4) Como é o seu período de transição?

O período de transição pode ter um enorme impacto na saúde uterina e atividade ovariana. A febre do leite, a placenta retida, a metrite, a mastite, a cetose, o fígado gordo e o abomaso deslocado têm demonstrado ter um efeito negativo na reprodução. Muitas destas doenças podem também estar presentes sob uma forma subclínica, que pode ser mais difícil de detectar.


Ao avaliar o seu programa de reprodução, tenha em mente que a gestão e o ambiente são muitas vezes os maiores fatores limitantes. A melhoria da gestão e do ambiente resulta frequentemente em melhorias noutras áreas, além da reprodução. Finalmente, monitorizar todas as mudanças que são implementadas para se certificar de que valem o investimento. 


O artigo foi adaptado da Progressive Dairyman pela equipa MILKPOINT.

Avalie este conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie o seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo no seu e-mail?

Receber os próximos comentários no meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento da MilkPoint.PT.

Consulte a nossa Política de Privacidade