FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

Água, um elemento essencial à produção de leite

POR PAULO ARANHA

NUTRIÇÃO, FORRAGENS & PASTAGENS

EM 27/12/2013

0
0
A água (H2O) é necessáriá em todos os processos fisiológicos, nomeadamente transporte de nutrientes e outros compostos para as células; na digestão e metabolismo dos nutrientes; excreção de compostos - urina; controlo do balanço electroliticos / iónico; termoregulação; meio de transporte do alimento ao longo do trato digestivo; constitui as secreções e fluidos do organismo: bilis, saliva e secreções pancreáticas, líquido sinovial, lágrimas, fluido amniotico e leite (Dryden 2008, NRC 2001).
A H2O presente no organismo está divida entre o espaço intracelular (dois terços do total) e o espaço extracelular. A H2O do espaço extracelular consiste na H2O presente no espaço intercelular, no tecido conjuntivo, no plasma, e presente no trato digestivo.
 
  • Fontes de H2O
A principal fonte de H2O ocorre através da ingestão directa, a segunda fonte consiste na ingestão da H2O presente nos alimentos, ingestão indirecta. A ingestão directa pode representar entre 70 a 97%. Existe uma terceira fonte de H2O resulta dos diversos processos metabólicos (Figura 1).
 
  • A ingestão da H2O é controlada pela:
- Hormona antidiurética ou vasopressina (ADH), é produzida no hipotálamo e secretada pela porção posterior da hipofise (neurohipófise);
  1. Aumenta a reabsorção de água no rim;
  2. Induz vasoconstrição arteriola (vasoconstrição periférica) o que leva a um aumento da pressão sanguinea;
- Aldosterona, hormona mineral corticosteroide, é produzida no cortex da glândula adrenal, faz parte do sistema renina-angiotensina responsável pela regulação da pressão sanguínea e balanço hidrico.
  • As necessidades de H2O dependem de vários factores
• Teor (%) de matéria seca da dieta;
• Quantidade de alimento ingerido – pode variar entre 1.5 a 2.47 L por cada Kg de matéria seca ingerida;
• Quantidade de leite produzido – pode variar entre 0.6 a 2.53 L por cada Kg de leite produzido;
• Teor de sódio (Na+), potássio (K+) e de azoto da dieta;
• Temperatura ambiente;
• Peso corporal;


A ingestão de H2O aumenta com o aumento da temperatura, do peso e com a nível de produção (Tabela 1). No entanto, o aumento de Na+ e K+ na dieta também leva ao aumento da ingestão de H2O. Contrariamente os bovinos em pastoreio tende a ingerir menos H2O, uma vez que a ingestão indireta aumenta.

Tabela 1: Comparação da ingestão de H2O no período seco e lactante, a diferentes níveis de produção e de temperatura ambiente (adaptado de Hutjens M. 2003).



  • Comportamento de ingestão:
Os bovinos ingerem H2O várias vezes ao dia, no entanto 30 a 50 % da ingestão total diária ocorre até uma horas após a ordenha. Nos períodos que precedem a ingestão de alimento a ingestão de H2O é também maior. Assim sendo, os bebedouros devem estar estrategicamente colocados e em número suficiente.
  • Factos
Os factos são inequivocos o bovinos de leite necessitam de um aporte diário de H2O para garantir as necessidades de manutenção (bem-estar animal) mas também para sustentar a produção de leite. A falta desta leva:

• Quebra da produção;
• Acidose ruminal;
• Redução do teor de gordura do leite;
• Em casos extremos pode levar à morte – desidratação superior a 20%;
• Etc…

É necessário disponbilizar H2O em quantidade e qualidade (Química e Microbiológica) para satisfazer as necessidades da manada (Tabela 2 e 3). Assim sendo os bebedouros devem ter a dimensão adequada, permita a ingestão de 15 L de H2O em menos de 1 min (Figura 2) e em vários pontos da exploração. Os bebedouros devem ser limpos frequentemente e cheio com água limpa
 

Em suma, é incontestável que a H2O seja um elemento essencial à produção leiteira.
 
Referências

1. Boudon A., Khelil-Arfa H., Ménard J.J., Brunschwig P. and Faverdin P, (2013), Les Besoins en eau d’abreuvement des bovins laitiers: determinisms physiologique et quantification, INRA Prodution Animal, 26 (3), 249-262

2. Drougoul C., Gadoul R, Joseph M-M, Jussiau R, Lisberney M-J, Mangeol B, Montméas L and Tarrit A(2004) Chapitre 10 La consumation d’aliments et d’eau Nutrition et alimentation des animaux d’élevage. Educagri Éditions, Deuxiéme édition, Tome 1, 230-253

3. Dryden G McL (2008) Water requirement. Animal Nutritional Science Cabi University Press 115-129

4. Holter, J.B. & Urban, W.E. Jr. (1992) Water partitioning and intake in dry and lactating Holstein Cow, Journal of Dairy Science, 75:1472-1479

5. Hutjens M (2001) Chapter 10 – Water as part of the ration, Successful feed Systems for dairy, Hoard´s Dairyman, 43 - 45.

6. Hutjens M (2003) Chapter 2 Feed Nutrients, Feeding Guide, Hoar´s Dairyman, Second Edition, 13 -20

7. Khelil-Arfa H., Boudon A., Maxin G. and Faverin P., (2012) Prediction of water intake and excretion flows in Holstein dairy cows under thermoneutral conditions. Animal, 6, 1662-1676.

8. NRC (2001), Water requirement, Nutrient requirements of dairy cattle, National Academy Press, 7th Edition, 178-183
 
 

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint.PT, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.