FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

Cuidados a ter com a alimentação via Unifeed

A fim de maximizar o seu potencial produtivo, as vacas leiteiras necessitam de consistência na manjedoura. Se a rotina ou os equipamentos de alimentação estão desregulados não será possivel fornecer-lhes tudo o que necessitam.

Há vários fatores relacionados com os sistemas de unifeed que podem contribuir para uma variação no alimento proporcionado ás vacas, referiu Tom Oelberg da Diamond V na conferência Tri-State Dairy Nutricion, os mais importantes são:

1 – O sem-fim, as placas de reforço e as facas - A forma mais fácil para avaliar o desgaste do unifeed é procurar alimento debaixo dos sem-fim e analisar o anel de alimentação dentro dos misturadores verticais. O grau e a velocidade de desgaste dependem do tamanho do efetivo e a quantidade de alimentos fibrosos usados.

2 - Tempo de mistura após a adição do último ingrediente - Um dos erros mais comuns é a falta de tempo de mistura após a adição do último ingrediente.

3 - Misturadores desnivelados - misturadores desnivelados causam a migração dos alimentos mais pesados e mais densos para a menor secção do misturador no vagão, podendo ficar retidos e acumulados sem se integrarem bem na mistura final.

4 – Posição de carregamento do misturador - Quando o alimento é despejado em cada extremidade do vagão este não fica completamente incorporado de imediato, se o tempo de mistura aumenta para compensar a posição do carregamento, então corre o risco de reduzir o tamanho da partícula eficaz do unifeed.

5 – Quantidade de alimento - O excesso ocorre quando o misturador é subdimensionado, os cálculos das quantidades por lote de vacas são imprecisos ou quando existe uma mudança drástica na forragem. Baixas cargas em misturadores verticais levam a que o alimento não atinja o topo do anel do misturador, desta forma a mistura poderá ficar demasiado heterógenea. Recomenda-se nestes casos que se opte por uma máquina mais pequena, ou horizontal.

6 - Qualidade da forragem – uma pobre qualidade das forragens leva a um processamento inadequado e leva à inconsistência da mistura.

7 – Sequência de carregamento – Os alimentos com um maior tamanho de partícula devem ser carregados em primero lugar, seguidos dos alimentos secos depois os húmidos e por fim os líquidos.

8 - Distribuição dos alimentos líquidos – Os alimentos liquidos devem sempre ser adicionados por último para evitar a aglomeração dos ingredientes secos.

9 – Afinação da velocidade do sem-fim – em estudos englobando várias explorações, a qualidade da mistura e da produção melhorou após a velocidade do sem-fim ter sido alterada, adequando a velocidade do motor, afinando a caixa de velocidades e as configurações do misturador. Tenha em atenção a correta manuntenção à sua máquina para otimizar sempre a mistura.

10 - Balança - Não exclua a hipótese da balança poder estar desafinada e por isso desperdiçar recursos e correr o risco de se formular uma mistura incorreta.

Este artigo foi traduzido e adaptado a partir do original de Amanda Smith, publicado na Hoard's Dairyman.



0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.