FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

6 formas de se evitar conflitos com os funcionários

* Artigo adaptado do MilkPoint Brasil

Já passou por uma situação em que que determinado funcionário não está a fazer o trabalho da forma que gostaria? Esta é uma causa muito comum de problemas nas explorações leiteiras. Se isto ocorre com frequência, o produtor acaba por perder a confiança no empregado levando geralmente a despedimento ou demissão.

Como evitar que isto aconteça?

1. Descreva o trabalho das pessoas

Uma das primeiras iniciativas é escrever a Descrição do Trabalho do funcionário. Nela deve ser especificado a quem ele responde, as condições necessárias para que realize o trabalho, suas atividades principais e as secundárias, o seu salário e benefícios e horário de trabalho.

2. Defina os procedimentos operacionais


Para as atividades principais deve-se ter claro os Procedimentos Operacionais formalmente escritos, onde se descreve os passos para a realização das tarefas que compõem a atividade, os materiais necessários para a execução da tarefa, o resultado esperado e o que fazer no caso de anomalias (acontecimentos fora do esperado).

3. Mostre o resultado que espera

Quanto ao resultado esperado, deve-se definir o seu Padrão Operacional. Na sua definição não tem sentido colocar termos como: bem feito, limpo, arrumado, em tempo, completo etc, já que são muito subjetivos. Deve-se, sim, mostrar através de fotos o que se espera. Por exemplo, o que é limpo? Na figura abaixo é mostrada a limpeza de úberes. 




Com isso o empregado saberá claramente o que se espera em termos de qualidade do seu trabalho. Além disso, é importante mencionar a quantidade de trabalho a ser realizado pelo funcionário, como: ordenhar tantas vacas por hora.

4. Capacite as pessoas


Com estas duas iniciativas, Descrição do Trabalho e Procedimentos Operacionais, o funcionário Capacitado saberá claramente o que se espera do seu trabalho e o que ele pode ou não fazer para atingir aquele resultado. Lembrando que ele é responsável por entregar o que se espera dele. A responsabilidade passa a ser a “Missão” do funcionário. Pessoas que sabem qual é sua missão tem melhores condições para tomar decisão no que fazer quando frente à uma anomalia e, com isso, são mais proativas e energéticas entregando mais e melhores resultados.

Isto, no entanto, não é suficiente para evitar resultados indesejáveis. É preciso, também, acompanhar o trabalho.

5. Acompanhe o trabalho

Diariamente o responsável direto pelo empregado (seu supervisor) deve dar suporte ao trabalho verificando se o empregado possui as condições para realizar o trabalho (por exemplo fazendo um checklist da ordenha ou da máquina de alimentação) e dando as informações necessárias para a realização da tarefa (listagem de animais a cobrir, a tratar, com o que, em que dosagem, etc.), aplicando as contramedidas às anomalias que apareçam e eliminando as barreiras para a execução das tarefas.


Já semanalmente, o gerente deve fazer reunião com os supervisores identificando as anomalias crónicas e verificando se existe algum problema com os indicadores dos processos. Com isto estaremos não apenas reforçando os funcionários, mas, também, formando equipas, onde cada empregado se vê como peça importante para se obter os resultados desejados. Neste estágio a exploração terá implantado uma cultura de melhoria imbatível. Este é o principal diferencial competitivo de qualquer negócio: pessoas energizadas, focadas em resultados, trabalhando em equipa.

6. Defina claramente onde se quer chegar

A manutenção da energia e união da equipa é conseguida através do entendimento da missão da exploração. Lembrando que a missão é a razão de fazermos o que fazemos e, no caso da exploração produtora de leite, deve ser o atendimento das necessidades da indústria/cooperativa e a sobrevivência do negócio graças à uma boa saúde financeira. Para tanto, deve-se ter em mãos o Mapa da Produção anual desdobrado até as metas quantitativas semanais (por exemplo número de vacas a inseminar, a cobrir, mortes, doenças, etc.). Estas metas transformar-se-ão no ponto focal dos empregados e um dos principais fatores motivadores para a obtenção dos resultados desejados pelo produtor.

Não deve estar pensar que isto tudo é apenas possível em explorações grandes com 10, 15, 20 empregados. Nada disso! Nas pequenas o processo é o mesmo, só que mais fácil, pois temos menos pessoas para capacitar. Quanto ao tempo, vemos que a implantação desta metodologia reduz o tempo para a realização dos trabalhos porque acabamos tendo empregados com maiores capacidades.Com isso obtemos melhores resultados com menor custo.

Por Paulo Machado
Coordenador da Clínica do Leite - ESALQ/USP

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint.PT, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.