FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

5 perguntas e respostas sobre Reprodução de Bovinos Leiteiros

*Artigo original MilkPoint Brasil

A otimização da eficiência reprodutiva pode ser um dos principais fatores que contribui em melhorar o desempenho e a lucratividade de um efetivo leiteiro. Para proporcionar mais conhecimento nesta area, está neste momento a decorrer um curso on-line sobre reprodução em bovinos leiteiros, via o MilkPoint Brasil.

Deixamos aqui 5 perguntas e respostas que surgiram no curso:

Aluno- Prezados professores, quando trabalhamos com vacas de alta produção o metabolismo do próprio animal tende a sequestrar o estrogénio impedindo o pico de LH dificultando a ovulação, a minha duvida é: quanto é essa produção alta? Como é possível identificar, visto que já tive casos de animais de média produção ( 16 a 20 litros no seu pico) que apresentaram este quadro?


Professores- Na verdade o que acontece é que as vacas de alta produção têm uma maior metabolização das hormonas esteróides (progesterona e estrogénio). Uma das consequências desta maior metabolização do estrogénio é que o folículo das vacas de alta produção precisa de crescer mais para produzir mais estrogénio e assim induzir o pico de LH para a ovulação. Não tenho conhecimento de dados que mostraram que vacas com produção menor tenham falhas de ovulação. As vacas com produção abaixo de 20 kg de leite por dia podem estar a apresentar falhas de ovulação por outro motivo. Um das causas de falha de ovulação pode ser o stress térmico.

Aluno- Comumente se administra prostaglandina para promover cio em vacas que estão cíclicas mas não demonstram, certo? Pelo que vimos no material didático, a hormona do comportamento de estro é o estradiol. E a prostaglandina reinicia o ciclo. Não entendi bem isto.

Professores- O estrogénio é a hormona responsável pelo comportamento de cio. A prostaglandina só faz a luteólise (destruição do corpo lúteo), com isso ocorre a queda da concentração de progesterona, o que permite que o folículo atinja a capacidade ovulatória e produza estrogénio suficiente para a expressão do cio.

Aluno- A percentagem de retenção de secundinas e deslocamentos de abomaso é muito maior que em vacas mais magras ou em classificação ideal de 3 a 3.5, certo professora?

Professores- Se não estivermos a falar de um efetivo com baixa disponibilidade de matéria seca, ou seja, que não esteja a passar fome, as vacas com uma classificação de condição corporal entre 2,75 a 3,5 terão menor incidências de doenças metabólicas no peri-parto. Nenhum dos extremos é bom, mas se compararmos a vaca magra com a gorda, provavelmente a gorda terá mais problemas. A sua observação é correta para as vacas de raças leiteiras europeias.

Aluno- No caso de chegarmos a uma exploração e observarmos que as vacas que estão a receber a dieta pré parto, estão com sobrepeso, sabendo que não podemos fazer restrição alimentar a estas vacas, o que podemos fazer no pós parto imediato ou ainda nos últimos dia de pré parto para evitarmos um pouco a ocorrência dos distúrbios metabólicos? O uso do propilenoglicol nos dias que antecedem o parto poderia ser uma opção?

Professores- Amarildo, você está certo, não podemos forçar a perda de peso em vacas pré-parto, estaríamos a antecipar os problemas metabólicos. Um dos motivos pelo qual a vaca gorda tem mais problemas metabólicos, é porque ela tem uma maior queda na ingestão de alimentos no pré-parto. Sabendo disso temos que tentar fazer o máximo para que essa vaca consuma um quantidade adequada de alimento, e isso significa, evitar stress nas vacas tanto no pré como no pós-parto. Portanto se as vacas estão gordas, sabemos que a hipótese dos problemas ocorrerem é maior, por isso temos de cuidar ainda mais dessas vacas. E também corrigir os fatores que estão a fazer com que as vacas cheguem gordas no pré-parto. O uso do propilenoglicol pode ajudar nestas vacas.

Aluno- Sabemos que o índice depende de vários fatores, mas gostava de saber qual seria um valor considerado ótimo, bom e mau, para classificar a minha exploração em relação à taxa de prenhez.

Professores- Taxa de prenhez a ser no minimo alcançada será de 20%. Pois assim se consegue ter o refugo voluntário adequado para o efetivo. Entretanto outros fatores podem influenciar na necessidade de reposição do rebanho.

Os professores deste curso, que responderam às questões são : Prof. Dr. José Luiz Moraes Vasconcelos; Profa. Dra. Ricarda Maria dos Santos, Lucas Furtado Barbosa e Marcos Henrique Colombo Pereira


0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.