FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA PASSWORD SOU UM NOVO UTILIZADOR

Oportunidades para selecionar vacas mais saudáveis

*Baseado no artigo de Chad Dechow, Professor assistente da Universidade de Penn State, escrito para a Revista Progressive Dairyman Canadá.

As tendências que se têm manifestado já há muito tempo sugerem que o mundo da exploração leiteira tem um registo misto no que respeita à manutenção da saúde das nossas vacas. Por um lado é visível uma redução substancial das contagens de células somáticas, graças a uma selecção genética muito apertada no que respeita a saúde do úbere. Por outro lado existem algumas tendências e estatísticas que são mais problemáticas. As taxas de mortalidade de vacas adultas nas explorações duplicaram entre 1980 e 2000 (dados do Canadá). A notícia positiva é que as taxas de mortalidade aparentam ter estabilizado desde essa época. O autor aponta também, que não tem dados que contemplem um longo período no que respeita à incidência de claudicações, mas os atuais apontam para uma taxa geral muito elevada.

Onde podem ainda melhorar os produtores?

A manutenção de um efetivo saudável é vantajosa tanto para as vacas como para o produtor. Felizmente existem uma série de características quantificadas geneticamente que auxiliam o produtor na seleção genética com a finalidade de melhorar a saúde do efetivo.
A característica mais simples que o produtor pode analisar de imediato para seleccionar por vacas mais saudáveis é a Capacidade Prevista de Transmissão (CPT) da Vida Produtiva nas provas portuguesas e PTA of Productive Life nas provas Canadianas.
A CPT da Vida Produtiva é expressa como o número de meses que as filhas de determinado touro sobrevivem num efetivo leiteiro para além da vaca média (do país de onde é a prova).
A longevidade de uma vaca é influenciada por uma serie de factores, como a fertilidade e a produção de leite, mas também a saúde da vaca (ou seja, a predisposição para mastites, infeções uterinas, cetoses e outros problemas metabólicos) pesa muito nesta ponderação e daí ser um ótimo indicador no que respeita esta matéria.

A seleção de touros com parâmetros de Vida Produtiva elevados é particularmente importante para os efetivos que têm elevadas taxas de mortalidade. Os resultados de uma das investigações da Universidade de Penn State, indica que uma em cada quatro mortes de vacas na exploração pode ser evitada caso se utilizem touros com parâmetros elevados de Vida Produtiva.

Uma segunda forma de tentar minimizar a incidência de doenças no efetivo é menos intuitiva que a seleção através do parâmetro de Vida Produtiva. Neste caso o produtor pode tentar optar por escolher touros que tenham um menor carácter leiteiro, ou seja, touros com filhas menos angulares e finas que mantenham melhor a sua condição corporal ao longo da lactação.

Durante muitos anos se tem selecionado sempre para obter as vacas mais eficientes em termos de volume de produção leiteira. No entanto esta seleção é contraditória à obtenção de animais mais saudáveis. Já existem muitos touros que demonstraram produzir filhas com elevadas produções e que ao mesmo tempo mantiveram melhor as suas características de saúde.
Selecionar “contra-produção” é contra-intuitivo para muitos, mas proporciona filhas mais saudáveis que acabam por providenciar um retorno económico mais elevado.
Simultaneamente, os produtores também foram selecionando para vacas maiores, mas já existem investigações que comprovam que vacas mais pequenas são mais saudáveis.

Há mais características nas análises dos touros que têm influência na saúde geral da vaca, como a avaliação das células somáticas, a taxa de prenhez das filhas, a facilidade de parto e os nados mortos. A correta conjugação de todas estas ajuda a desenvolver um efetivo leiteiro mais saudável.

Saudável e produtiva

Os produtores de leite têm provado que é possível ter vacas saudáveis que produzem muito leite através de uma seleção baseada em úberes saudáveis. Existe ainda uma ampla janela de evolução no que respeita a saúde geral da vaca baseando-se por exemplo na Vida Produtiva e em dados que vão ser compilados na exploração. Não é possível criar estas vacas do dia para a noite mas a saúde delas é um fator-chave no planeamento de uma estratégia a longo prazo no desenvolvimento de animais que suportem o rigor de produzir leite aos mais altos níveis.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint.PT, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CARLOS SERRA

MAFRA - LISBOA - DISTRIBUIÇÃO/GROSSISTA

EM 09/04/2015

O programa da vaca ProCross através da valorização do Vigor Hibrido junto com as raças complementares Montbeliarde e a VikingRed,ao longo das gerações transmite tudo o que é referido neste artigo,animais de tamanho mais moderado,muito melhor condição corporal,mais saudáveis,mais produção na vida produtiva,mais rendimento para o produtor  e AINDA mais satisfação no trabalho.